Tuesday, May 24, 2005

Outra Televisão

Entraste na sala onde estava sozinho a olhar a televisão. Passei os olhos por ti e fiquei surpreendido. Já tinha visto o teu corpo vagueando pelo Hotel mas as roupas largas não faziam supor a mulher que de facto eras. Sentaste-te a meu lado. Tinhas umas calças justas em todo o lado e as tuas coxas varriam todos os que para elas olhassem. Olhei-te e sorri.

Não respondeste.

Olhávamos os dois o estúpido televisor onde um apresentador de sete cabeças falava sobre tudo o que não tinha interesse como se fosse o fim do mundo.

Abriste ligeiramente as pernas e, para minha enorme surpresa, começaste a tocar-te nas cochas.
Rapidamente a tua mão deslizou para dentro das calças e gemeste de prazer.

Toquei-te levemente no joelho ao que fui, de imediato, repelido.

Os movimentos da tua mão dentro das calças eram cada vez mais intensos.

Olhava eu atónito, sem reacção, todos os teus sentimentos perante a minha impotência.

Colocaste então a tua mão livre sobre o meu pénis que de imediato se irisou.

Mal podia acreditar.

Via as pessoas lá fora a passar e eu sem saber o que fazer. Então desapertaste os botões das minhas calças e acariciaste-me. A tua mão fria sabia o que fazer. Caminhámos juntos até ao céu onde um anjo nos juntou num orgasmo simultâneo.

Quando voltei a mim já tu ías saindo bamboleante perante este meu ser.

Nessa altura entravam dois velhotes que me sorriram. Coloquei apressadamente a camisa para fora das calças, disfarçando o estrago, e levantei-me discretamente retribuindo o sorriso.

Ao sair da sala, olhei de soslaio para trás onde a velhota, cumplicemente, me piscava o olho.

Desta vez fôra apanhado!

1 Comments:

Blogger Delírio da Loirinha said...

Querido c!
Humhum...o medo de ser apanhado pode ser extremamente excitante...
Beijinhosdoces

3:00 AM  

Post a Comment

<< Home